Google+ - Publisher - Editora
A carregar...

A família

Agostinho Neto casa com Maria Eugénia Silva no dia 27 de Outubro de 1958, dia em que conclui a sua licenciatura em Medicina, reunindo dois motivos de festa. Lúcio Lara é um dos padrinhos.

Especializa-se em Pediatria no Hospital D. Estefânia e frequenta o curso de Medicina Tropical no Ultramar.

A 9 de Novembro de 1959 nasce o seu primeiro filho, Mário Jorge. A 22 de Dezembro do mesmo ano regressa a Angola. Já em 1960 abre o seu consultório em Luanda, no Bairro de S. Paulo, onde é assistido pela sua mulher, Maria Eugénia. Nesta altura é indigitado para assumir a Direcção do recém-criado MPLA, no interior do território angolano.

Devido às suas actividades políticas é preso a 8 de Junho 1960 pela Pide. A sua prisão desencadeia uma manifestação de repúdio por parte dos habitantes de Caxicane junto ao edifício da administração do concelho. Esta manifestação vai ser fortemente reprimida causando a morte de 30 pessoas e mais de 200 feridos, passando a ser conhecido como “o massacre de Icolo e Bengo”. Em consequência desta agitação vai ser transferido para Lisboa e depois é deportado para Cabo Verde em Outubro do mesmo ano.

A 23 de Julho de 1961 nasce a sua segunda filha, Irene Alexandra, que só irá conhecer no dia do seu aniversário, em Setembro, quando Maria Eugénia se desloca a Cabo Verde. É-lhe fixada residência na ilha de Santo Antão onde exerce as funções de Subdelegado de Saúde. Mais tarde é transferido para a cidade da Praia, na ilha de Santiago, em cujo hospital exerceu medicina.

Em 1962 fixa residência em Lisboa, onde obtém autorização para exercer medicina no Hospital de Santa Marta. Ainda nesse ano foge para Rabat, Marrocos acompanhado pela família. Passa a residir em Léopoldville, onde o MPLA tinha então a respectiva sede.
A 5 de Janeiro, aquando da realização da Conferência de Quadros em Brazzaville, nasce a sua terceira filha, Leda.

Nesta altura a vida política de Agostinho Neto intensificou-se forçando-o a dividir o seu tempo entre a família e a política até ao dia da sua morte, a 10 de Setembro de 1979, após ter sido submetido a uma cirurgia em Moscovo.